Loading...

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Tu BiShevat 5776-2016





Tu BiShevat com os Judeus de Caruaru. Conheça um pouco sobre esta Festa Judaica chamada popularmente de o Ano Novo das Árvores, e aprenda com a Sabedoria da Torá a refletir sobre as semelhanças existentes as árvores e as pessoas... e você perceberá que um Mundo novo se descurtinará diante de seus olhos.



Tu BiShevat Sameach!!!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Tu BiShevat - O Ano novo das Árvores


O Ano Novo das Árvores

    Tu BiShevat ocorre no dia 15 do Mês de Shevat - neste ano de 5776, equivalente este ano ao dia 25 de Janeiro de 2016. Isso tem haver com o período em que os novos brotos das árvores despertam de seu sono invernal e recomeçam um novo ciclo frutífero.
      De acordo com a Torá, o Ano Novo das Árvores, está relacionado com os vários dízimos que devem ser  separados da produção na Terra Santa. 
      A Festa de Tu BiShevat tem como base a seguinte passagem da Torá, como está escrito:

"E quando tiverdes entrado na Terra, e plantardes todo tipo de árvores de comer, ser-vos-á incircunciso o seu fruto; três anos vos será incircunciso; dele não se comerá. Porém, no quarto ano todo o seu fruto será santo para dar louvores ao Senhor. E no quinto ano comereis o seu fruto, para que vos faça aumentar a sua produção. Eu sou o Senhor vosso Deus."
- Levítico 19:23-25 -

Celebramos o dia de Tu BiShevat comendo várias espécies de frutas, algumas da nova estação. Especificamente é costume comer dos frutos pelos quais a Terra de Israel é enaltecida, "Os Sete Tipos" (dois tipos de grãos e cinco tipos de frutas) que são destacados na Torá em seu louvor à Fartura da Terra Santa, conforme mencionados na Torá:

"Uma Terra de trigo e cevada, uva, figo e romã; uma Terra de azeitona e mel (tâmaras)."
- Deuteronômio 8:8 -


     Este dia possui um significado especial, pois, neste dia o ser humano é comparado com a árvore, conforme escrito na Torá:

"Pois o homem é uma árvore do campo."
- Deuteronômio 20:19 -

     Nossos sábios afirmam que as pessoas são de fato como árvores do campo em muitos aspectos e que há numerosas lições que as pessoas podem aprender com as árvores. Uma das coisas que aprendemos é que elas sempre crescem; enquanto estiverem vivas crescerão. Então, se uma árvore vive em constante crescimento, certamente as pessoas deveriam fazer o mesmo.


     Para nós, os judeus, a verdadeira media de crescimento em Torá e Mitzivot, estas são as nossas raízes e frutos.E é nesse aspecto que devemos crescer constantemente. Não importa quão "crescidos" venhamos a nos considerar no assunto, devemos crescer pelo menos um pouco mais amanhã. Sempre há espaço para melhorar e o momento é sempre propício para amadurecer.


     Os nossos Sábios nos ensinam que originalmente todas as árvores tinham frutos, e voltarão todas elas a terem frutos na Era de Mashiach. uma árvore sem frutos é sintoma de um mundo imperfeito, pois, a principal de uma árvore é produzir frutos. Assim que, se uma pessoa é uma árvore do campo, e o fruto é a maior realização de uma árvore, então, assim como as árvores, a pessoa que não se esforça para produzir bons frutos acaba por ser rejeitada por deus e pelos homens, como está escrito: 

"E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo."
- Lucas 3:9 -


     Segue então, algumas passagens das escrituras sagradas que consolidam este conceito de que; "O homem é uma árvore do campo":

"A Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal era um Homem."
- Comentário do Zohar para Parashat Bereshit -
 Gênesis 2:17

- Números 5:6 -

- Deuteronômio 20:19 -

- Juízes 9:7-16 -

- Salmo 92:12-15 -

- Provérbios 11:30 -

- Isaías 11 -

- Jeremias 17:5-9 -

- Ezequiel 31 -

- Mateus 3:10 -

- Mateus 7:15-21 -

- Mateus 12:32-34 -

- Romanos 11:13-26 -


Tu Bishevat Chag Sameach!!!

     

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Al Yeshua





No Mundo Judaico, falar sobre Mashiach é sempre um assunto controverso, intrigante e não raro acalorado... no Mundo Judaico, no decorrer das eras, houveram muitos Sábios que se envaideceram pela sua Sabedoria (que de fato era extraordinária) ao ponto de se entenderem como Mashiach... estes Messias fizeram discípulos, ensinaram a torá com profundidade impressionante, fizeram milagres e aglomeraram em torno de si a muitos dos filhos de Israel, tanto judeus simples quanto grandes nomes dentre os rabinos de sua era. Dentre estes messias, alguns se destacaram na História Judaica, adquiriram tamanho vulto que foi impossível ignorá-los; dentre estes destaco a Rabi Yeshua, o Rabino de Nazaré de onde os cristãos derivaram a sua Religião, Bar Khorba, o Messias promovido pelo renomado Rabi Akiva, que penhorou o seu nome e sua vida nesta crença, Shabatai Tzivi, o famoso Messias da Idade Média, que com seus prodígios, sabedoria e carisma, inflamou o coração de praticamente todos os judeus de seu tempo, salvo um número muito pequeno de rabinos que se oporam e resistiram a sua atração messiânica, e por fim, Menachel Mendem Schnerson, o Rebe de Lubavitc, considerado como Messias pelos judeus da Beit Chabad, Instituição judaica ortodoxa de grande vulto no mundo inteiro... Contudo, nenhum outro Messias perturba tanto Israel quanto Rabi Yeshua... por que?



Ovi HaQorá - O outro lado da Cruz pretende elucidar esta questão com maestria, confrontando opiniões diversas emitidas por judeus que acreditam ser Yeshua O Mashiach, e por judeus que o entendem como um embusteiro na melhor das hipóteses... é um material simplesmente indispensável para o amante das Escrituras Sagradas.



Shalom UL'Hitraot!!!



Maorel Melo